Usado de locadora pode ser um bom negócio

Até recentemente, as locadoras costumavam repassar seus carros usados a lojistas, pois era comum o consumidor ver esse tipo de veículo com desconfiança. O maior receio era comprar um usado que havia passado pelas mãos de muitos motoristas, nem sempre zelosos

Atualmente, a presença do usado de locadora no mercado é ostensiva. Isso porque essas empresas se transformaram nas maiores compradoras de carros novos do País e a cada troca da frota, colocam milhares se seminovos à venda.

Várias criaram lojas específicas para esse fim. A mais recente investida é da Porto Seguro, que vai inaugurar na próxima sexta-feira um local no centro da cidade para vender os modelos utilizados no “Carro Fácil”, nome do serviço de carro por assinatura da companhia. “A locadora precisa ter canais para escoar esse estoque, permitindo a renovação da frota”, afirma o presidente da Unidas, Luís Fernando Porto.

Trata-se de um negócio promissor. A Movida começou a vender seminovos diretamente ao público em março de 2015, em seis lojas. Atualmente, são 62. De janeiro a março deste ano a locadora vendeu 12.700 usados – alta de 42% ante o mesmo período de 2018.

“Hoje, o carro de locadora é mais novo, com revisões e garantia de fábrica. Às vezes, dá para encontrar modelos com apenas 8 mil, 10 mil km, que são verdadeiros ‘filés’”, afirma Paulo Garbossa, da consultoria ADK Automotive.

“Se no passado o nome da locadora teve peso negativo no histórico de um carro, hoje isso pode ser até positivo”, diz Luiz Carlos Augusto, da DDG Consultoria.

DOIS TIPOS DE USADO

Os carros de locadora podem ter dois tipos de uso. O mais conhecido é locação no varejo, cobrada por diárias avulsas. Esses veículos rodam em torno de 30 mil km antes de serem colocados à venda.
“O ideal é o carro rodar entre 25 e 35 mil km. Mas às vezes não conseguimos desligá-lo no tempo previsto, por causa da alta demanda”, diz o CEO da Movida, Renato Franklin. “Em geral, eles são revendidos com 14 ou 15 meses de uso.”

O outro tipo de uso são as frotas corporativas. Nessa modalidade o carro é locado para uso por uma única empresa, com contratos de dois a cinco anos. “São mais rodados pois ficam disponíveis para uso por mais tempo”, conta o diretor de vendas da Localiza Seminovos, José Carlos Batista.

Assim como ocorre em qualquer tipo de loja, O usado mais caro tem procura menor. Com isso, quando atingem o tempo de uso para desativação, a maioria rodou pouco. “Alguns chegam ao pátio com menos de 10 mil km. Temos um Mercedes-Benz C 180 ano 2017 à venda com apenas 6 mil km rodados. Na tabela a cotação é de R$ 144 mil, mas nosso preço é de R$ 130 mil”, diz Franklin.

Oferecer carros por preços abaixo do mercado ainda é comum nas locadoras. Na Unidas, por exemplo, os valores são entre 3% e 5% menores que as médias da tabela.

Fonte: Estadão – https://jornaldocarro.estadao.com.br/carros/usado-locadora-pode-ser-bom-negocio/

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *