16jul/14

Governo adia alta de IPI para carros

O governo anunciou nesta segunda-feira (30) que serão mantidas as atuais alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para carros, móveis e painéis de madeira. Pela programação anterior do governo, a alíquota “cheia” do IPI, que vigorava antes do início do desconto, seria retomada a partir desta terça (1º).

O imposto dos carros vai ficar entre 3% e 25%, dependendo do motor, até o fim do ano. Se voltassem à alíquota normal, como era esperado, ficaria entre 7% e 25%.

IPI de carros
Os descontos para o IPI em carros começaram em maio de 2012, também em virtude da queda nas vendas e aumento no estoque das montadoras e das lojas.

A alíquota sofreu um primeiro aumento no ano passado e um outro em janeiro deste ano, que não valeu para os carros populares (com motor 1.0). Para esses veículos, o IPI continua em 3%. Se voltasse à alíquota normal, subiria para 7%.

Para carros com motor entre 1.0 e 2.0 flex, a alíquota do IPI será mantida em 9%, a mesma desde janeiro passado. Até o fim de 2013 ela estava em 7%. Se fosse retomada de forma integral, chegaria a 11%.

Para os veículos com a mesma faixa de motorização, mas movidos apenas a gasolina, a alíquota é mantida em 10%. Caso retornasse ao patamar normal, seria de 13%.

Para carros com motor maior do que 2.0 litros, já era válida a alíquota normal (não houve desconto), de 18% para os flex e 25% para os movidos a gasolina.

O IPI para os utilitários é mantido em 3%, quando a alíquota normal seria de 4% a 8%.

Fonte: G1.com

15jul/14

Vendas de carros seminovos crescem no primeiro semestre

O número de automóveis seminovos e usados negociados no país (carros de passeio e comerciais leves) chegou a 4,6 milhões no primeiro semestre, registrando aumento de 3,8% em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados são da Fenauto (Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores).

O desempenho mostra que há migração de clientes que antes compravam carros, pois o setor de modelos zero-quilômetro teve redução de 7,3% nos emplacamentos (carros de passeio e comerciais leves) nos seis primeiros meses de 2014, de acordo com a Anfavea (associação nacional das fabricantes).

PESSIMISMO

Porém, a percepção dos donos de lojas de seminovos e usados não é positiva em relação ao cenário do mercado. De acordo com empresários do setor ouvidos pela reportagem, problemas com aprovação de crédito intensificaram-se no primeiro semestre de 2014 .

“Está difícil de comprar e vender carros, pois não há crédito. Está complicado a ponto de as pessoas nem procurarem mais o financiamento, desistindo da compra”, disse um dos donos ouvidos, que preferiu não se identificar. ”

ÁGUA LIMPA

De acordo com o presidente da Fenauto, Ilídio dos Santos, a percepção negativa se deve aos últimos dois meses, “no qual o brasileiro não comprou nada”. Para Santos, o crescimento aconteceu no nicho dos veículos com quatro a oito anos de uso, que tiveram tendência de alta no último semestre. Os chamados “usados jovens” venderam 83,25% a mais do que os semi-novos, que tem até três anos de uso. A entidade espera que o setor cresça até 7% em relação ao acumulado do ano passado. “O mercado deve ficar mais estável, com o vencimento de alguns contratos antigos de financiamento. A ‘água podre’ dos inadimplentes vai escoar, sobrando apenas a ‘água limpa'”, diz o presidente da Fenauto.

Fonte: Bem Paraná

30jun/14

Vendas de veículos novos no Brasil voltam a recuar em Junho

A vendas de veículos novos no Brasil em junho voltaram a recuar, com a média de licenciamentos de carros e comerciais leves por dia útil caindo quase 11 por cento ante igual mês do ano passado, segundo revelou uma fonte com acesso a números preliminares de emplacamentos.

Até sexta-feira, as vendas de carros e comerciais leves no Brasil em junho somaram cerca de 236,13 mil unidades, com os emplacamentos sendo influenciados por menos dias úteis, num mês marcado pela Copa do Mundo e pela fraqueza da economia.

O volume vendido corresponde a uma média por dia útil de 12.428 unidades, ante média de 13.920 em junho do ano passado.

Diante do fraco movimento e da representatividade do setor para a composição do Produto Interno Bruto (PIB) do país, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, reúne-se com representantes da indústria de veículos nesta segunda-feira e deve anunciar medidas de apoio aos licenciamentos.

A indústria brasileira de veículos, que representa cerca de um quarto do PIB industrial do país, tem derrapado desde o início do ano, diante de fraqueza na confiança dos consumidores, crédito reduzido e crescimento lento da economia. Além disso, as exportações do setor acumulam queda de 33 por cento no ano até maio, em unidades.

O setor tem ajustado a produção com medidas que incluem antecipação de férias, programas de demissão voluntária e suspensão de contratos de trabalho que já tiveram efeito de redução sobre o número de trabalhadores empregados no setor, em ano eleitoral. Até o final de maio, a produção acumulava queda de mais de 13 por cento sobre o mesmo período de 2013.

Com as vendas de junho até sexta-feira, os licenciamentos em 2014 somam 1,57 milhão de carros e comerciais leves, queda de 8 por cento sobre o mesmo período do ano passado, ante previsão do início do ano do setor de crescimento de cerca de 1 por cento.

23jun/14

Honda revela linha 2015 do Civic; carro custa a partir de R$ 65.890

loja-conectada-honda-civic-2015

 

A Honda revelou essa semana a linha 2015 do Civic. O carro chega às concessionárias na segunda quinzena custando à partir de R$ 65.890.

 

As grandes alterações foram principalmente no modelo LXR 2.0, a mais vendida da família. Deixaram o veículo mais esportivo, dianteira foi renovada com detalhes cromados, novos faróis de neblina e rodas de 17″.

 

Fonte: Infomoney

21jun/14

Data Brain e Moneycar fecham parceria

A Data Brain e o Moneycar fecham parceria para criação de um novo produto que visa aumentar a divulgação dos veículos dos clientes que usam a ferramenta de gestão Moneycar.

logo-loja-conectada

LogoMoneycar

 

Loja Conectada nasce com finalidade de desenvolver sites e proporcionar canal de divulgação do estoque das revendas de veículos que utilizam a ferramenta de gestão Moneycar.

Os sites desenvolvidos estarão conectados no Moneycar e cada veículo inserido na ferramenta será exibido automaticamente no site, e quando a venda for efetuada o veículo não será mais exibido no site.

Com isso, a revenda continuará a usar o Moneycar normalmente e o site será alimentado com as movimentações feitas no estoque.

Essa parceria nasce para ajudar a revenda a aumentar suas vendas, melhorar seu faturamento e ter um canal para divulgação do se estoque através da internet.